Fechamento 01/02 - Panorama financeiro nacional e internacional

MercadosRadar

Fechamento 01/02 - Panorama financeiro nacional e internacional

Veja as notícias que movimentaram a economia no Brasil e no mundo. 

Projeção de gráfico financeiro. Foto: Freepik.

Confira o fechamento desta quinta-feira, 1, as cotações e as principais movimentações nos mercados financeiros globais. Mantenha-se atualizado sobre os acontecimentos que estão impulsionando esses mercados!

Mercado brasileiro:

  • Preços ao consumidor

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) acelerou a 0,61% no encerramento de janeiro, após fechar dezembro com alta de 0,29%. O resultado desta leitura também ficou acima do registrado na terceira quadrissemana de janeiro, que apontou alta de 0,59% para o indicador. Agora, o indicador acumula alta de 3,36% em 12 meses, após 3,55% em 2023.

A variação do IPC-S no mês ficou residualmente abaixo da mediana do Projeções Broadcast, que apontava alta de 0,63% para o índice, com intervalo entre 0,60% e 0,69%.

  • Fluxo cambial

O Brasil registrou fluxo cambial positivo de US$ 6,355 bilhões em janeiro, até o dia 26, segundo dados preliminares divulgados pelo Banco Central. Saiba mais aqui!

  • Atividade industrial e manufatureira

O índice dos gerentes de compras (PMI) sobre a atividade industrial do Brasil subiu para 52,8 pontos em janeiro, ante 48,4 pontos em dezembro, segundo dados divulgados pela S&P Global nesta quinta-feira, 1º de fevereiro. O resultado é o mais alto para o indicador nos últimos 18 meses. Leituras acima dos 50 pontos sugerem expansão da atividade.

O movimento de alta no indicador partiu de aumentos observados no volume de novos pedidos, com as empresas elevando os volumes de produção ao maior nível desde meados de 2022, aponta a S&P.

"A demanda subjacente por produtos brasileiros se recuperou em janeiro, com os pedidos às fábricas se expandindo pelo ritmo mais rápido em mais de um ano e meio, apesar do enfraquecimento persistente nos negócios de exportação. Como resultado, os volumes de produção aumentaram pela primeira vez em cinco meses", avalia, em nota, a diretora associada de economia da S&P, Pollyana Lima.

Ela destaca, em contrapartida, que permaneceu a evidência de um "excedente de capacidade" entre os produtores brasileiros de bens, uma vez que os volumes de negócios pendentes caíram ainda mais. "Está claro que os esforços contínuos de recrutamento das empresas ajudaram a manter os pedidos em atraso sob controle", avalia.

  • Preços de produtos na "porta da fábrica"

O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que inclui preços da indústria extrativa e de transformação, registrou baixa de 0,18% em dezembro ante recuo de 0,34% em novembro, informou nesta quinta-feira, 1º de fevereiro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O IPP mede a evolução dos preços de produtos na "porta da fábrica", sem impostos e fretes, da indústria extrativa e de 23 setores da indústria de transformação.

Com o resultado de dezembro, o IPP acumulou um recuo de 4,98% no ano de 2023.

Ibovespa

O Ibovespa iniciou fevereiro em alta de 0,57%, aos 128 481,02 pontos, em máxima do dia que coincidiu com o fechamento da sessão.

Ainda assim, acompanhou nesta quinta-feira à alguma distância o avanço de Nova York que, após certa volatilidade no começo da tarde ante a retomada de dúvidas sobre bancos regionais nos EUA, firmou-se no positivo, mostrando ganhos que chegaram a 1,25% (S&P 500) e 1,30% (Nasdaq) no encerramento.

Fechamento do dólar:

Após abrir os negócios em alta e correr até R$ 4,96, o dólar à vista começou a perder força no fim da manhã e se firmou em baixa no início da tarde, em meio ao enfraquecimento da moeda americana no exterior e o recuo das taxas dos Treasuries. Com mínima a R$ 4,9126, a moeda encerrou o dia em queda de 0,44%. O real apresentou o melhor desempenho entre as divisas emergentes e de países exportadores de commodities mais relevantes, seguido de perto por seu principal par, o peso mexicano.

  • Taxa de compra - 4,9344.
  • Taxa de venda - 4,9350.

Mercados internacionais

Mercado americano:

  • Auxílio desemprego

Os novos pedidos de auxílio-desemprego dos Estados Unidos subiram 10 mil na semana até o dia 27 de janeiro, a 224 mil, informou nesta quinta-feira, 1º de fevereiro, o Departamento do Trabalho. Analistas ouvidos pela FactSet previam 214 mil. O dado da semana anterior foi revisado, de 214 mil antes informado para 215 mil.

Na semana anterior, o número de pedidos de auxílio-desemprego continuados, por sua vez, avançou 70 mil, a 1,898 milhão. Este dado é divulgado com uma semana de atraso. A previsão, neste caso, era de 1,837 milhão.

  • Atividade industrial e manufatureira

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) da indústria dos Estados Unidos subiu de 47,9 em dezembro a 50,7 na leitura final de janeiro, informou nesta quinta-feira, 1º de fevereiro, a S&P Global. O número veio acima da estimativa de analistas ouvidos pela FactSet e da leitura preliminar, de alta menor a 50,3.

Com isso, o PMI da indústria dos EUA ultrapassa a marca de 50, que separa contração da expansão da atividade, e alcança a "melhor performance do setor" desde dezembro de 2022, segundo a S&P Global.

  • Mão de obra

O custo unitário da mão de obra nos Estados Unidos subiu a um ritmo anualizado de 0,5% no quarto trimestre de 2023, segundo levantamento preliminar divulgado nesta quinta-feira, 1º de fevereiro, pelo Departamento do Trabalho do país. O resultado ficou bem abaixo da previsão de analistas consultados pela FactSet, de alta de 2% no período.

Já o custo unitário da mão de obra no terceiro trimestre sofreu leve revisão, de queda de 1,2% para recuo de 1,1%. Fonte: Dow Jones Newswires.

  • Bolsas norte-americanas

As bolsas de Nova York fecharam em alta e o índice Dow Jones renovou máxima histórica, com o apetite por risco em alta em Wall Street diante de alívio nos retornos dos Treasuries e relatos de acordo de cessar-fogo em Gaza. Setorialmente, os ganhos das big techs se sobrepõem à queda generalizada dos bancos americanos, em meio a preocupações com o New York Community Bank (NYCB).

  • Índice Dow Jones - alta de 0,97%, a 38.519,84 pontos.
  • S&P 500 - subiu 1,25%, a 4.906,19 pontos.
  • Nasdaq composto - ganhou 1,30%, a 15.361,64 pontos.

Mercado europeu:

  • Desemprego na zona do euro

A taxa de desemprego da zona do euro permaneceu na mínima recorde de 6,4% em dezembro de 2023, o mesmo nível do mês anterior, segundo dados com ajustes sazonais divulgados nesta quinta-feira, 1, pela agência oficial de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. O resultado de dezembro veio em linha com a expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal. A Eurostat calcula que havia 10,909 milhões de desempregados na zona do euro em dezembro. Em relação a novembro, o número de pessoas sem emprego na região teve queda de 17 mil.

  • Atividade industrial e manufatureira na zona do euro

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial da zona do euro subiu de 44,4 em dezembro para 46,6 em janeiro, atingindo o maior nível em dez meses, segundo pesquisa final divulgada nesta quinta-feira, 1, pela S&P Global em parceria com o Hamburg Commercial Bank. A leitura definitiva de janeiro confirmou a estimativa preliminar e veio em linha com a previsão de analistas consultados pela FactSet. O resultado abaixo da barreira de 50, no entanto, indica que a produção manufatureira do bloco segue em contração.

  • Inflação ao consumidor da zona do euro

A taxa anual de inflação ao consumidor (CPI, pela sigla em inglês) da zona do euro desacelerou levemente em janeiro, a 2,8%, ante 2,9% em dezembro, segundo dados preliminares divulgados nesta quinta-feira, 1, pela agência de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. A prévia do CPI de janeiro, porém, ficou acima da expectativa de analistas consultados pela FactSet, que previam taxa de 2,7%. Já o núcleo do CPI, que desconsidera os preços de energia e de alimentos, teve acréscimo de 3,3% em janeiro ante igual mês do ano passado, perdendo força em relação ao ganho anual de 3,4% de dezembro. Neste caso, o consenso da FactSet para janeiro era de aumento um pouco menor, de 3,2%.

  • Atividade industrial e manufatureira da Alemanha

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial da Alemanha subiu de 43,3 em dezembro para 45,5 em janeiro, atingindo o maior nível em 11 meses, segundo pesquisa final divulgada nesta quinta-feira, 1, pela S&P Global em parceria com o Hamburg Commercial Bank. O resultado definitivo de janeiro ficou levemente acima da estimativa preliminar e da previsão de analistas consultados pela FactSet, de 45,4 em ambos os casos. Apesar do avanço, a leitura abaixo da marca de 50 indica que a produção manufatureira alemã segue em contração.

  • Atividade industrial e manufatureira do Reino Unido

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial do Reino Unido subiu de 46,2 em dezembro para 47 em janeiro, segundo dados finais publicados nesta quinta-feira, 1, pela S&P Global em parceria com a CIPS. O resultado definitivo de janeiro, porém, ficou abaixo da estimativa preliminar e da previsão de analistas consultados pela FactSet, de 47,3 em ambos os casos. A leitura abaixo de 50 também indica que a atividade manufatureira britânica segue em contração.

  • Decisão do Banco da Inglaterra

O Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) decidiu nesta quinta-feira, 1 manter sua taxa básica de juros em 5,25%, como esperado, em uma decisão dividida. Dois dirigentes preferiam elevar os juros em 25 pontos-base, um terceiro queria um corte da mesma magnitude, enquanto seis votaram pela manutenção. O comunicado afirma ainda que o comitê "manterá sob revisão por quanto tempo a taxa deve ser mantida neste nível atual".

  • Bolsas europeias

As bolsas da Europa fecharam em queda nesta quinta-feira. Saiba mais nesta reportagem.

Mercado asiático:

  • Setor imobiliário

As vendas de novas moradias na China caíram acentuadamente em janeiro, outro sinal de que as políticas de apoio ao setor imobiliário tiveram pouco efeito para impulsionar um dos principais motores da segunda maior economia do mundo. O valor das vendas de novas moradias pelas 100 maiores empresas imobiliárias da China em janeiro caiu 34% em comparação com o mesmo período do ano anterior, informou o provedor de dados China Real Estate Information (Crei). Esse foi o terceiro ano consecutivo em que os preços das casas novas caíram em janeiro.

  • Bolsas asiáticas

Hoje, as bolsas asiáticas encerraram o pregão sem direção única. Confira o fechamento do mercado asiático nesta quinta-feira,1.

Acompanhe o portal Money Now News para mais atualizações! 

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 04 Março 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://moneynownews.com.br/

Cron Job Iniciado